segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

Cerveja, alguém quer?

Ao jantar cai-me nas mãos a certeza do quão diferente vai ser este Natal. Respiro. Levanto-me. "Cerveja, alguém quer?" E finjo tão bem.
O cabrito, a galinha no forno, as batatas fritas, o pudim do velho, o arroz doce.
A sala da casa da avó. O sumol que o avó ia comprar sempre ao café naquele dia. A canja com os pedaços de galinha que a avó comia com toda a satisfação do mundo.
Vem tudo à memória. Sem filtro. Sem dó.
Onde anda a merda do tempo que dizem que cura tudo? Merda para o tempo. Esse ingrato que em nada me ajuda.
Levanto-me. "Cerveja, alguém quer?" E finjo tão bem.

1 comentário:

Nuno disse...

"We're gonna have a good ol' time.
Don't be scared, 'cause there ain't nothing to worry about,
Let your hair down,
And square dance with me!"